VONTADE DE DEUS NA MINHA VIDA 
  Corresponder aos desígnios de Nosso Senhor e fazer a sua vontade é o primeiro desejo do seu coração daqueles que, de alguma forma já experimentaram seu amor.
                 Sempre ouvimos alguém dizer: “Qual é a vontade de Deus na minha vida”? Descobrir a vontade de Nosso Senhor deve ser o maior desejo existente na alma. E por que? Porque se não a conheço, não posso segui-la, e consequentemente não posso encontrar a felicidade.
                Chiara Lubich, fundadora dos Focolares, afirma que não é difícil saber qual é a vontade de Deus: “É preciso ouvirmos bem dentro de nós uma voz delicada, que muitas vezes sufocamos, e que se torna quase imperceptível. Mas, se a ouvirmos bem: é a voz de Deus.”
                É voz de Deus que nos diz o momento certo para cada coisa, ou quando sentimos um forte interior se segui-lo mais de perto, ou ainda quando me confronto com a minha mais íntima vontade. Jesus me pede algo diferente do que desejo, será essa voz de Deus? Não calemos essa voz, ela é a maior segurança que possuímos. Devemos segui-la!
                Uma vez que ouvimos a voz de Deus e sua vontade para nossa vida devemos então ter a coragem de assumir o querer Divino fazendo dele nossa prioridade. E qual a condição? A condição para fazer a vontade de Nosso Senhor é dar os passos que Deus exigir de nós a cada instante. Pois, Nosso Senhor não exige de nós o que não dá.
               Segundo Chiara, a vida nos oferece duas direções: fazer a nossa vontade ou fazer a vontade de Deus. A primeira opção, que logo vai ser decepcionante, é como escalar montanha da vida só com nossas ideias limitadas, com os poucos meios que temos, com os nossos pobres sonhos, contando só com as nossas forças. A partir daí, mais tarde ou mais cedo, vai chegar a experiência da rotina de uma existência cheia de tédio, de mediocridade, de pessimismo e, Às vezes, até de desespero. Uma vida monótona, apesar do nosso esforço por torná-la interessante, que nunca chegará a satisfazer o nosso íntimo mais profundo. A segunda possibilidade é quando também nós repetimos com Jesus: “Não se faça a minha vontade, mas a tua.”
              A alma não conseguirá amar a Nosso Senhor senão se rende a Sua vontade. Santa Teresinha dizia que seu nome era vontade de Deus, e isso porque em sua vida nunca quis outra coisa senão viver sobre esta terra seu céu. E que céu? A vontade de Deus.

Ir. Sandrinha

Mestra de Aspirantes
Eu digo SIM, ao chamado de Deus!