Desde o ventre materno Deus nos escolheu, somos lançados à vida já trazendo uma missão, um proposito para nós que por um tempo vive oculto, mas, com o decorrer do crescimento humano surge no coração o desejo, o chamado, isto é a vocação.

A vocação é de modo especial um convite de Deus, nós não somos obrigados a aceitar, mas como fugir? Se observamos a vida dos escolhidos de Deus veremos muitos fujões, vejamos a vida do profeta Jonas diante do chamado que Deus o faz, ele toma um objetivo e decide fugir da presença do Senhor, tenta ir para uma cidade distante, em um barco… mas, Deus não desistiu dele e continuou insistindo. O Senhor lançou sobre o mar uma grande tempestade e Jonas percebeu que era o causador de todo o mal e aceitou ser lançado no mar, onde foi engolido por um peixe, onde passou três dias e três noites no ventre, e foi assim que ocorreu sua grande conversão.

Jonas ali dentro rezou dizendo: “No perigo gritei ao senhor e ele me atendeu, do ventre do abismo pedi socorro e ele me escutou.” Após ser lançado em terra firme, pela segunda vez Jonas recebe o chamado de Deus e dessa vez ele realiza os planos do Senhor.

E nós, quantas vezes agimos como Jonas, quantas vezes fugimos do chamado do senhor, o desejo de deixar-se ser conduzido por Jesus, deve ser feito por amor, a raiz da vocação é o amor. Jesus quer que o amemos sem reservas, quer que tudo seja direcionado por ele e para ele.

Ao receber o chamado devemos entender que já não servimos a nós mesmos, que já não fazemos a nossa vontade, mas a de Deus. Portanto, devemos ser gratos, pois não merecemos, somos indignos, mas precisamos, e por isso o Senhor voltou para nós esse olhar de misericórdia.

Não devemos resistir, muito menos fugir, porque nossa liberdade e felicidade só encontramos quando realizamos a vontade de Deus em nossas vidas, quando por amor nós deixamos ser moldados.

Deus é amor, e o amor é a liberdade, e foi o amor de Deus que nos libertou! Hoje sigo a Cristo mais de perto, estou vocacionada do Instituto das Irmãs Pequeninas, já fugi como Jonas hoje estou nos braços de Cristo.

 


Natália Silva Rodrigues
Arari – MA

Da Baleia aos Braços de Deus!